Terça-feira, 13.05.14

Jogo de dados e acaso

Não será exagerado afirmar que, hoje, todas as dimensões da vida estão submetidas a planos: o casal procede ao planeamento familiar, o professor planifica a aula, o autarca elabora o Plano Diretor, a Federação de Futebol planifica as competições.

Os exemplos parecem revelar que foi "declarada guerra" ao acaso.

Porém, o peso do aleatório nas vidas humanas não deixou de ser significativo.

A começar pelo nascimento.

Como alude André Comte-Sponville, “o mistério do nascimento é mais profundo e rico para meditar que o mistério da morte.

É ele que nos confronta com o acaso”.

E acrescenta: “ toda a morte é inevitável. Nenhum nascimento o é, mesmo que tenha sido desejado ou programado pelos pais. Morrer é um destino. Nascer uma sorte”.

Ao nascimento podem acrescentar-se outros aspetos da vida que escapam à programação: o amor, assim como as diversas dimensões da afetividade, e o próprio sentido da vida.

Bem se pode dizer que a incerteza a que o acaso nos conduz, não data de hoje, sendo até constitutiva da natureza humana. 

Parafraseando Egdar Morin, “a humanidade sempre viveu na incerteza. Para os nossos antepassados caçadores-recolectores, a caça era algo de aleatório.”

Mas o “sentimento de incerteza” parece ter-se avivado e generalizado.

O mundo encontra-se numa fase particularmente incerta, dir-se-ia, patologicamente incerta.

Porquê? Talvez porque "os fundamentos das convicções tanto antigas como modernas parecem ter desabado na segunda metade do século XX" (François Stirn, Os Grandes Pensadores Contemporâneos, Instituto Piaget), nomeadamente:

a)      A morte ou o declínio do marxismo;

b)      A incredulidade em relação às meta-narrativas (ideologias);

c)       O fim das ideologias;

d)      O enfraquecimento das religiões.

Hoje, podem enumerar-se diversas incertezas: económicas, sociais – como os direitos adquiridos - políticas, epistemológicas, éticas, entre outras.

 



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 00:10 | link do post | comentar

Terça-feira, 09.08.11



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 16:52 | link do post | comentar

Segunda-feira, 01.06.09

 

Foi, recentemente, visto um placard, algures para os lados de Coimbra, com a seguinte inscrição:

Venha Ver o Animal Mais Feroz do Mundo!

 

O referido cartaz causou alguma perplexidade e curiosidade nos transeuntes, que se interrogavam, naturalmente, sobre que tipo de animal se trataria.

Após alguns momentos de "suspense", confirmaram-se as suspeitas: tratava-se do animal homem!!



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 00:06 | link do post | comentar

Domingo, 01.02.09

Protágoras fez uma combinação com um dos seus alunos segundo a qual este pagaria a instrução recebida depois de ter ganho o seu primeiro caso. O jovem completou o seu curso, pendurou o tradicional letreiro e ficou à espera de clientes. Nenhum apareceu. Protágoras tornou-se impaciente e decidiu processar o antigo pupilo, reclamando a quantia que lhe era devida.

"Porque", argumentava Protágoras, "ou eu ganho a demanda, ou a ganhas tu. Se eu ganhar, pagas-me em cumprimento da sentença do tribunal. Se ganhares tu, tens de me pagar de acordo com a nossa combinação. Em qualquer dos casos tenho de ser pago". 

"Nada disso", replicou o jovem. "Se eu ganhar não tenho de pagar-te, por sentença do tribunal. Se ganhares tu, então pela nossa combinação nada tenho de pagar. Em qualquer dos casos não tenho de te pagar".



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 01:14 | link do post | comentar

Terça-feira, 20.01.09

 

 



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 17:19 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.01.09

 

No auge de uma discussão começaram a trocar insultos. Então, um gritou:

-  Seu animal racional!

-  Animal racional é você e toda  a sua família - respondeu o outro, ainda mais zangado...



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 12:46 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Sexta-feira, 09.01.09

Ver imagem em tamanho real

Quando Thompson fez 70 anos, decidiu alterar completamente o seu estilo de vida para poder viver mais tempo. Fez uma dieta rigorosa, correu, nadou e apanhou sol. Em apenas três meses, Thompson perdeu 14 quilos, reduziu o perímetro  da cintura em 15 cm e alargou 5 cm no peito. Elegante e bronzeado, decidiu embelezar a imagem com um novo corte de cabelo, mais moderno. Depois, quando ia a sair do barbeiro, foi atropelado por um autocarro.

Enquanto estava moribundo, exclamou:

- Deus, como é que pudeste fazer-me isto?

E uma voz vinda dos céus respondeu:

- Para te dizer a verdade, Thompson, não te reconheci.



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 17:01 | link do post | comentar

Terça-feira, 06.01.09

Mec e o filósofo



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 17:51 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.12.08
 



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 12:32 | link do post | comentar

http://courses.umass.edu/chappell/Images/Desc/DescWife.html

"Penso, Logo Existo" está muito bem para ti mas, e EU?



publicado por Carlos João da Cunha Silva às 00:56 | link do post | comentar

mais sobre mim
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

O Acaso e a Incerteza

Nascimento e lotaria

O Animal Mais Feroz do Mu...

Quem Tem Razão?

JOGO DE FUTEBOL ENTRE FIL...

Será o Homem Um "Animal R...

Qual é a Estrutura da Rea...

O Filósofo

O que é a Verdade?

Penso, Logo Existo.

arquivos

Maio 2014

Agosto 2011

Junho 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

favoritos

Sociedade Pan-Óptica - M....

blogs SAPO
subscrever feeds